Como vender chopp?

Se você está pensando em abrir um bar, com certeza já considerou trabalhar com a venda de chopp. Hoje em dia, o público está pedindo cada vez mais pela introdução de torneiras nos estabelecimentos que frequenta. Afinal, elas trazem uma experiência totalmente única, além de ser mais fresco do que a usual cerveja de garrafa.

Por ser diferente em diversos aspectos, o processo da venda de chopp também é diferenciado. Então, a pergunta que não quer calar é: como vender chopp no seu bar?

As dicas são muitas, então preste atenção e vem comigo:

DICA 1: ESCOLHA SEU SISTEMA DE REFRIGERAÇÃO

A escolha do sistema de refrigeração do seu chopp pode representar uma grande mudança em seu estabelecimento. Alguns fatores fundamentais a serem analisados nesse processo são:

  • espaço disponível;
  • quantidade de torneiras com as quais você deseja trabalhar;
  • investimento que você pode fazer.

Um sistema que não condiz com a sua realidade e/ou com a experiência que você quer entregar para os seus clientes pode afetar diretamente a sua lucratividade.

Mesmo existindo diversas opções, como os balcões refrigerados, keggerator e traves, as soluções mais usadas são as chopeiras elétricas e as câmaras frias.

Se você estiver com dúvidas sobre qual o melhor opção para você, realizamos o levantamento de alguns pontos para auxiliar nesse processo e poder escolher à melhor alternativa para seu estabelecimento. Dê uma olhadinha no nosso: Chopeira elétrica ou câmara fria: qual usar?

Como poderá ler na outra matéria que indicamos acima, nossa recomendação quanto ao sistema de refrigeração é a câmara fria (container refrigerado serve igual). Essa solução mantém toda a linha de chope sempre na temperatura ideal, além de conservar e manter refrigerado o seu estoque de barris.


DICA 2: EQUIPAMENTOS

Além do sistema de refrigeração, alguns equipamentos não poderão faltar para rodar sua venda de chopp com tranquilidade. Para que você não se perca nesse processo, montamos uma lista dos materiais indispensáveis:

  • Cilindros de gás: o que impulsiona sua cerveja do barril até a torneira é o gás que entra no barril por meio da válvula de extração e ele é vendido em cilindros de vários tamanhos. O gás utilizado na grande maioria dos casos é CO2, ainda que nossa recomendação é a utilização de uma mistura de CO2 com Nitrogênio, que mantém a pressão mas evita a super carbonatação da cerveja, além de criar uma espuma mais cremosa na hora de tirar um chopp
  • Regulador Principal: ajuda a controlar a pressão do(s) gás(es);
  • Linhas de Gás: tubulação que transporta o gás do cilindro para o resto do seu sistema.
  • Linhas de Chope: essencialmente a mesma coisa que a linha de gás, exceto que ela se liga diretamente a válvula extratora e de outro lado a torneira.
  • Válvula Extratora: enroscada no barril, atua como um ponto de junção muito importante entre o barril e as linhas de chope;
  • Torneira: a famosa tap, a torneira que você vê, de onde sai o chope geladinho! São vários tipos de torneira e na matéria Torneira de chopp: italiana ou belga? nós comparamos os dois tipos mais populares no Brasil;
  • Pingadeira: Base, normalmente de aço inox, instalada logo abaixo das torneiras e que permite coletar os pingos de chope que naturalmente caem das torneiras entre uma servida e outra.

Agora, se você vai trabalhar com um chopeira elétrica, trave ou qualquer outro sistema de refrigeração que não mantenha todo o processo de extração de chope gelado, você precisará de:

  • Pré Resfriador: máquina resfriadora instalada entre os barris e a torneiras e que permite gelar instantaneamente o chopp;
  • Linha de Glicol (Tubo Phyton): esse tubo “envolve” as linhas de chope que vão do pré resfriador à torneiras, mantendo todo a linha de chopp refrigerada

DICA 3: QUANTIDADE E VARIEDADE

A variedade de estilos comercializados é uma incógnita para muitos negócios e, claro, depende sempre do seu público. Entretanto, por questões de rotatividade e variedade, a recomendação que nós damos é de começar com pelo menos seis torneiras.

Com essa quantidade, é possível dedicar 04 torneiras para rótulos ou estilos fixos, aqueles que o “mercado consome e pede”, e ainda ter outras 02 torneiras disponíveis para testar cervejas mais ousadas, produções únicas, cervejas em promoção ou até mesmo  promover a experiência de conhecer algo novo, por exemplo.

Uma pesquisa da Mintel de novembro de 2018 aponta que 57% dos consumidores brasileiros preferem beber pequenas quantidades de chopps diferenciados a beber grandes quantidades do mesmo produto.

Mas quais quantidades devo comercializar?

Quem trabalha com bares tradicionais pode vender chopp em quantidades e recipientes específicos, como os populares 300mL e 500mL por exemplo.

Outras opções que estão surgindo com força são os copo de 200mL, a “provinha” muito comum em festivais, e a régua de degustação, com quatro ou cinco copos de 100mL cada com diferentes estilos para experimentação.

Já quem trabalha com a liberdade do autosserviço de chopp pode deixar seus clientes a vontade para escolher quantidade desejada! Dessa maneira, você fica livre para focar na variedade de chopes do seu bar!


DICA 4:  CONHECIMENTO DO MIX DE PRODUTOS

Essa é uma das partes mais importantes: é imprescindível que seus funcionários tenham conhecimento qualificado sobre os produtos que estão vendendo; neste caso, o chopp.

Treine os garçons, os maîtres e tenha você também o conhecimento do produto que está vendendo. Se puder contratar sommeliers, melhor ainda! Nem sempre o seu consumidor terá o conhecimento do que está bebendo e de como combinará seu chopp com o que ele está comendo, e é aí que a qualificação da equipe entra como um diferencial!

Se você for trabalhar com bar tradicional, tenha em mente que o cliente vai ter contato com os seus garçons, não com você. Então contrate pessoas que tenham o mesmo mindset que você quando se trata de tratamento de cliente – pessoas simpáticas e proativas são sempre bem vindas em qualquer ramo.

Agora, se você optar pelo autosserviço de chopp da myTapp, a recepção inicial do seu cliente será feita pelo próprio sistema – todas as informações necessárias para ele saber o que está bebendo estão na tela.

Dessa maneira, você pode reduzir a sua brigada para aumentar a qualidade da mesma, possibilitando o foco em um serviço premium. Você pode contratar um profissional especializado em harmonização de bebidas com os seus pratos e petiscos, por exemplo.


DICA 5: CONHEÇA SEU PÚBLICO

Uma boa seleção de chopps sempre tem como base um estudo do seu cliente: o que ele está pedindo e como ele está reagindo ao que está consumindo. Para isso, algumas perguntas são necessárias:

  • quem está comprando?
  • como está comprando?
  • por que está comprando?

Falamos um pouco mais sobre como você pode obter essas informações no nosso post 5 primeiros passos para quem quer abrir um bar!

Trabalhando com um modelo mais tradicional de bar, uma boa prática é estar sempre de olho em tudo que acontece dentro do seu estabelecimento. Essa é uma missão árdua e a coleta de dados para análise sempre é um desafio. Para auxiliar nesse processo, alguns bares contratam até mesmo com empresas de pesquisa para ter um maior aprofundamento no conhecimento do cliente.

Já com o autosserviço de chopp myTapp, os dados para a análise já estão em suas mãos! O sistema registra os consumos dos clientes para que você saiba o que mais gostam, o que menos gostam, qual bebida foi mais consumida e outras dezenas de informações que podem te ajudar a pensar estrategicamente seu negócio.


DICA 6: SE DESTAQUE!

Ter um estabelecimento que atrai público no século XXI, o século do delivery e da internet exige muito mais esforço. Os clientes não vão entrar no seu estabelecimento sem nada que chame a atenção deles e isso vale para negócios de todos os setores.

Todos nós sabemos que o ser humano é muito visual, então uma boa dica, quando se fala de vender chopp, é chamar a atenção da sua clientela para as suas torneiras. Customize elas, dê destaque, use materiais de exposição diferentes, cores diferentes – use sua criatividade! Afinal, o chopp é um produto tímido, ele precisa de holofotes.

Algumas práticas legais para bares podem ser:

  • uso de tap handles
  • cardápio de chopp bem pensado (Já demos algumas dicas legais sobre a construção do cardápio para bares aqui)
  • placas de sinalização

Quem trabalha com autosserviço de chopp myTapp possui mais um grande carta na manga: as próprias telas do sistema! Além de ter inúmeras vantagens para o estabelecimento, trabalhar com myTapp traz um ar inovador para o estabelecimento, chamando novos clientes e fidelizando os antigos.

(fotos dos estabelecimentos de clientes)


DICA 7: ACOMPANHE A TECNOLOGIA

A primeira década do século está quase no fim e ainda existe uma série de medos e receios em investir em tecnologia. O mais comum deles nasce a partir do pensamento prematuro de que a inovação tecnológica, principalmente quando falamos de ponto de venda, é uma substituição dos braços humanos.

Quando acompanhada de perto, com olhos mais atentos, a tecnologia se apresenta como uma grande amigo disposto a auxiliar em processos, gerar dados e facilitar uma série de atividades cotidianas. Assim, mais pessoas podem atuar estrategicamente para levar estabelecimentos à outro nível na imensa escada do mundo dos negócios.

Quando falamos em pontos de venda que trabalham com a comercialização de bebidas em barril, a myTapp se posiciona no mercado sendo, justamente, esse apoio para os negócios.

Com a automatização do serviço, muito além de levar inovação, ser um estabelecimento diferenciado e proporcionar o auto-atendimento aos consumidores, você ganha velocidade, rotatividade, informação e claro… mais faturamento!

Ao abrir a mente para inúmeras possibilidades que a tecnologia pode gerar, um mundo novo irá se abrir e, com certeza, ideias irão começar a borbulhar. Seja com autosserviço de chopp, comandas eletrônicas, totens de venda e o que mais você puder imaginar, há sempre mais vantagens do que você prevê!